Pesquisar

Artigos...

Sabia Que...

  • Links de Interesse

  • Alimentação e a Gripe A

      Bookmark and Share  Imprimir

    Sem dúvida que a alimentação é importante no caso da Gripe A, apesar de ser uma doença respiratória vírica e não uma toxinfecção alimentar, a alimentação exerce um papel crucial no equilíbrio do indivíduo infectado, onde os principais sintomas são os semelhantes a uma gripe comum, diferenciada por uma febre repentina acima dos 39 ºC, pingo do nariz, dor de cabeça, nos músculos e nas articulações, falta de apetite, vómito, diarreia.

    Esta nova estirpe causa náuseas, vómitos e diarreia. As primeiras pessoas infectadas provavelmente tiveram contacto com porcos em explorações agrárias, agora o contacto decorre pela proximidade entre pessoas, especialmente por gotas de saliva, tosse e espirros.

    Devemos evitar durante a doença a ingestão de cafeína (café, chá preto, chocolate) pois essa substância reduz as nossas reservas de zinco.

    Dever-se-á eliminar também os lacticínios e os açúcares refinados da alimentação enquanto doentes, pois esses alimentos só contribuirão para a formação de muco e para dificultar a eliminação do vírus, para além de que o açúcar tem um efeito pernicioso: o de deprimir o sistema imunológico.

    A ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAUDE (OMS) refere ausência de risco no consumo de produtos de origem suína, desde que bem cozinhados, sendo seguro comer carne de porco cozida em temperatura superior a 70°C. Alimentos como presunto, salsichas e bacon também não trazem riscos.

    Posto isto, devemos reforçar as nossas defesas com a ingestão de alimentos ricos em:

    • Vitamina C: é um antioxidante importante para a pele, ossos, cartilagens, dentes saudáveis e cicatrização. Auxilia na absorção do ferro, as suas fontes alimentares são: vegetal de folhas verdes, tomates, pimentos, kiwis, citrinos, morangos, melão, ananás, este fruto é rico em bromeleína, uma enzima derivada deste fruto que possui acção anti-inflamatória e analgésica, e os respectivos sumos;
    • Vitamina A: protege as mucosas das infecções, sendo importante para o crescimento, a boa visão, pele saudável e as suas fontes alimentares são: cenouras, ovos, pimentos, batata-doces;
    • Vitamina E: um antioxidante que ajuda também na cicatrização, sendo necessários para os nossos glóbulos vermelhos e sistemas nervosos saudáveis, as suas fontes alimentares são óleos vegetais, principalmente o azeite extra virgem abacate, nozes, sementes, ovos e grãos integrais;
    • Zinco: combate as infecções, aumenta a imunidade, é necessário para o desenvolvimento sexual e reprodução, sua fontes alimentares são: carne de vaca, frango, ovos, aveia, cajus, sementes de girassol e abóbora;
    • Selénio: um excelente antioxidante e aumenta também as nossas defesas, as suas fontes alimentares são: nozes, sementes, miudezas, peixe, carne de porco, ovos, frango, bacalhau, salmão, sementes de girassol e de abóbora;

    Para além das recomendações nutricionais é de fundamental importância a higiene das nossas refeições, sendo imperioso cumprir as boas práticas na hora de armazenar, preparar, confeccionar e servir as refeições sobretudo aos grupos de risco, como as crianças, grávidas, idosos e imunodeprimidos, para isso menciono algumas regras muito importantes:

    Visto que o vírus também, pode estar nas mãos das pessoas infectadas e em superfícies, como mesas e utensílios em geral os profissionais da restauração, bem como as donas de casa devem obedecer algumas regras:

    • Lavar as mãos e antebraços com água e sabão bactericida, enxaguar em água corrente e secar com papel descartável.
    • Manter os cabelos apanhados e cobertos, as unhas curtas e limpas.
    • Não tossir ou espirrar sobre os alimentos. O uso de máscaras descartáveis ao preparar os alimentos também pode ser recomendado.
    • Lavar as mãos antes de manipular os alimentos e sempre depois de: usar o WC; tossir; espirrar; tocar no rosto; tocar no lixo; tocar em embalagens ou alimentos crus; manusear dinheiro ou tocar nos sapatos; sempre que necessário
    • Lavar as mesas e bancadas de trabalho com água e sabão. Depois de secas, passar álcool 70%.
    • Utensílios como garfos, facas, copos, pratos devem ser lavados com água e detergente e depois enxaguados. Quando lavados à máquina, a água quente já faz o processo de desinfecção, mas podemos finalizar passando álcool 70% ou deixando de molho em solução clorada por 15 minutos.
    1 » 2 »